HOME BLOG CONTATO INDIQUE ESTE SITE
 
Área:
CARO LEITOR | ver comentários |
Título: Escândalos impunes...
Autor: Rodolfo C. Martino - publicado em 20/04/2001
 

"O PMDB não é um partido. É uma federação de capitanias" (Fernando Lyra, deputado federal pelo PPS)

01. A cada semana, surge um novo escândalo nos arredores do governo Fernando Henrique Cardoso. Se as denúncias já não mais surpreendem a opinião pública, causa espanto o jogo de cintura do presidente para escapar de retaliações de processos, CPIs, investigações e afins.

02. A bola da vez da semana é toda essa comoção da mídia em torno da adulteração do placar eletrônico do senado. Que história! Está comprovado que houve quebra de sigilo em votação no plenário do Senado que determinou a cassação do senador Luiz Estevão em junho do ano passado. Funcionários já foram afastados e agora o diz-que-diz planaltino quer apurar quem foi o mandante da massaroca.

03. De novo, aparece a figura emblemática do senador Antônio Carlos Magalhães que, como de hábito, se diz inocente. Já o líder do Governo no Senado, José Roberto Arruda, também posa de beato. Em contundente pronunciamento, na tribuna do plenário, foi enfático: o ônus da prova é de quem acusa, perpetou, isentando-se de qualquer participação.

04. E o presidente? Bem, o presidente, que já não divide os mesmos talheres com ACM, conversou com Arruda e saiu da audiência com a idéia de que tudo se resolvera. Neste final de semana, tem outro compromisso internacional. Vai ao Canadá e a crise fica para outra data. Depois que a poeira assentar...

05. Aliás, esse parece ser mesmo o estilo FHC de governar. Em teoria, discursos e projeções, há solução para todos os males que afligem os brasileiros. Na prática, porém, vivenciamos um País cada vez mais a deriva. E, pior, na contramão da propalada modernidade que tanto apregoa o presidente.

06. Na esteira dos escândalos, outra de Jáder Barbalho. A Polícia Federal descobriu que uma empresa, a Saint Germany, movimentou 209 milhões de reais em contas bancárias, só no ano de 1996. A empresa pertence a José Osmar Borges que é acusado de desviar mais de 100 milhões de reais da Sudam, uma verba que deveria ser aplicada em projetos na Amazônia. No local, só existem alguns galpões -- e nada mais. A empresa aparece como sócia de Jáder Barbalho, atual presidente do Senado, na aquisição de uma fazenda no Pará. Borges, que estava preso, conseguiu um habeas corpus e foi solto na noite de quarta-feira... Coisas do Brasil, um País cada vez mais distante de uma instituição chamada justiça social.

 
 
COMENTÁRIOS | cadastrar comentário |
 
 
© 2003 .. 2017 - Rodolfo Martino - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Sicca Soluções.
Auto-biografia
 
 
 
BUSCA PELO SITE