HOME BLOG CONTATO INDIQUE ESTE SITE
 
Área:
CARO LEITOR | ver comentários |
Título: A quem interessa...
Autor: Rodolfo C. Martino - publicado em 01/06/1996
 

01. O presidente Fernando Henrique Cardoso foi o principal aval para a intervenção da Polícia Federal nas investigações da morte de Paulo César Farias e sua namorada Suzana Marcolina da Silva. O presidente e, como de resto, toda a Nação querem a apuração total dos fatos. Em Florianópolis, na manhã de quarta-feira, Fernando Henrique preferiu não comentar o procedimento da polícia alagoana. Mas, adiantou que o Ministério da Justiça também vai acompanhar o processo e informá-lo de todos os passos e novidades. Todos sabemos que o desaparecimento de PC interessava a um grande número de poderosos que, durante um determinado período, mandou e desmandou no País. O descalabro de mais essa página infeliz da nossa História ainda hoje tem áridos reflexos na vida pública nacional.

02. A polícia alagoana começou as investigações, apostando na hipótese simplista de crime passional. Uma mulher apaixonada prestes a ser abandonada teria se descontrolado e assassinado o homem amado e, posteriormente, atirado no próprio peito. A versão alagoana de Romeu e Julieta não condizia com a personalidade do casal. A bem da verdade, ninguém em sã consciência engoliu essa primeira versão. Logo surgiram dúvidas e contradições. Na quarta-feira, já com a certeza de que teriam a companhia da PF, os responsáveis pela Secretaria de Segurança do Estado reformularam o parecer inicial e começaram a trabalhar com a hipótese de Suzana ter sido executada, em vez de ter cometido suicídio. No mesmo dia, o órgão determinou a detenção dos quatro seguranças que serviam PC na hora do crime. Foram recolhidos a um quartel da Polícia Militar, onde permanecerão incomunicáveis até o depoimento que apura o crime.

03. Na manhã de ontem, os informes das agências de notícias admitiam a hipótese de uma terceira pessoa no quarto onde PC e sua namorada morreram.E o próprio irmão, deputado Augusto Farias, apareceu na lista dos suspeitos. Augusto foi a última pessoa a ver PC e Suzana com vida na noite de sábado. Causou estranheza aos investigadores a pressa com que a família de PC aceitou a versão do crime passional, seguido de suicídio. Além do que, os trabalhos iniciais cometeram uma série de equívocos. Exemplo: Augusto declarou que, ao perceber que o irmão não atendia aos chamados na manhã de domingo, arrombou uma das janelas junto com os seguranças e entrou por ela no quarto, onde se deparou com a dimensão da tragédia. No mesmo horário, o delegado Cícero Torres, encarregado das investigações pelo próprio secretário da Segurança, coronel José de Azevedo Amaral, divulgava que a janela já havia sido
"estourada" pelos seguranças antes da chegada de Augusto. Além disso, um dia depois da perícia apressada, a polícia lavou o quarto onde PC foi morto, retirou os copos dos criados mudos e queimou o colchão e roupas de cama. Destruiu, assim , o cenário do crime e as eventuais provas.

04. A Associação Brasileira de Medicina Legal e a Associação Brasileira de Criminalística anunciaram, na terça-feira, que vão acompanhar a conclusão dos laudos sobre a morte de PC e da namorada. Seus dirigentes suspeitam que os legistas e os peritos alagoanos estejam sofrendo pressões das autoridades locais.O presidente da ABC, Wanderley Leal Chagas, confirmou que, se for o caso, o Ministério Público Federal deve avocar para si a responsabilidade das investigações. Dá para entender a preocupação das associações e dos homens de boa-vontade. O caso PC tem amplitude nacional -- e toda a Nação sairá ganhando se a verdade vier à tona e os culpados forem punidos.

05. O cientista político, Paulo Sergio Pinheiro, autor do Plano Nacional de Direitos Humanos, foi contundente. Em carta enviada ao procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, e ao ministro da Justiça, Nelson Jobim, criticou a atuação da polícia alagoana e ressaltou: "Todas as falhas nas investigações expressam procedimentos não compatíveis com a atividade policial e não podem ser toleradas em sociedades democráticas ". É o que todos esperamos...A impunidade, em todas as suas manifestações e segmentos, continua sendo a principal responsável pela estagnação do nosso País. No beiral do Terceiro Milênio, ainda nos defrontamos com uma realidade que nos lança ao século XIX, quando a força falava mais alto que a razão.

06. Só para lembrar: Paulo César Farias seria ouvido hoje pelo Supremo Tribunal Federal no inquérito que arrola a Associação Nacional de Empresas Interestaduais e Internacionais de Transporte de Passageiros. O chamado "Esquema PC " receberia propina da Associação em troca da concessão de aumentos, pelo governo Collor, nos preços das passagens. A ex-ministra Zélia Cardoso de Mello foi ouvida ontem no STF.

 
 
COMENTÁRIOS | cadastrar comentário |
 
 
© 2003 .. 2017 - Rodolfo Martino - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Sicca Soluções.
Auto-biografia
 
 
 
BUSCA PELO SITE