Sign up with your email address to be the first to know about new products, VIP offers, blog features & more.

Dias melhores…

Melhor do que ler as notícias do dia é o conteúdo que retiro com minhas conversas diárias com os motoristas de Uber que me levam para lá e para cá nesses dias que estou sem carro.

E olhem, amigos leitores, que, como sabem, sou jornalista.

(…)

Uma boa parte dos ‘news motoras’ lançou mão do expediente (“trabalhar na praça”, como me disse o mais velhinho deles) porque está desempregada e não encontra ocupação na função que exercia anteriormente (administradores de empresa, metalúrgicos, bancários, comerciários e afins). Outros usam o carro para, no fim de noite, “conseguir um dinheirinho” e salvar o orçamento do mês.

Sonham com tempos melhores, mas andam desconfiados deste Brasilzão de Meu Deus. Não acreditam em nossos governantes e políticos; muitos pensam sinceramente em construir “uma vida decente” em outras terras.

“Só os graúdos, com boa renda por aqui, podem fazer isto”, me disse um deles, com ares de desalento.

No mínimo, ouvi de vários, cogitam deixar “a cidade grande”.

– A insegurança por aqui é muito grande.

(…)

Mesmo assim, todos me parecem estar de bom-humor; o que, na minha humilde avaliação, demonstra que não ter um patrão por perto deve ser muito bom.

Disse isso a um deles que gargalhou e concluiu, todo alegrinho:

– Põe bom nisso, doutor! O que tem de maluco-beleza querendo ser dono da gente e do mundo!

(…)

Não sou doutor. Nem fico à vontade quando me chamo assim. Como maluco-beleza, diria, que já vivi dias melhores.

Sou jornalista – e, quando digo isso a eles, e conto um tantinho da minha história (que gosto que só de uma conversa fiada), quase sempre sou surpreendido com uma pergunta um tanto quanto inusitada:

– Em que televisão você trabalha?

– Não trabalho na TV.

– Tem face, twiter, insta…

– Nada.

(…)

Ao informa-los que não sou dessa nobre estirpe (ui!), que quando muito, meu ofício é alinhavar uma letrinha atrás da outra no papel impresso do jornal ou do livro e em nosso humilde Blog, sinto uma certa decepção no olhar do eventual novo amigo.

Um deles me perguntou, inconformado:

– Já pensou em ser youtuber ou influenciador digital?

Eu, hein!

O Jornalismo e eu já vivemos melhores dias.

Melhor mudar de assunto e falar da seleção e da Copa…

signature

Ainda nenhum comentário.

O que você acha?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *