Sign up with your email address to be the first to know about new products, VIP offers, blog features & more.

Nestor e a corrida eleitoral – 3

Posted on

O Blogueiro não apareceu ontem.

Hoje, pede humildemente desculpas.

Não, não foi a convocação da seleção de Tite.

De minha parte, o homem sabe o que faz – e tem feito, até aqui, muito bem. O resto é balela para preencher os programas esportivos.

(Que, aliás, adoro e, sei, é um defeito meu.)

II.

Ontem,  Nestor e meus caros e amáveis cinco ou seis leitores, tive um dia corrido, fora dos padrões, a tal da roda viva ‘que carrega o destino pra lá’.

Nenhuma bronca.

Correria, e compromissos – todos saldados, ufa, dentro dos prazos.

(Faltou falar com o Danilo, do Imposto de Renda; mas, juro, de amanhã não passa.)

III.

Retorno com algumas informações sobre o assunto recorrente na semana passada no Blog que foi a corrida eleitoral.

O amigo Nestor, que mora na Bélgica, quer saber:

“Por que não citei Henrique Meireles entre os presidenciáveis? ”

Serei sincero, como de hábito.

Nestor e amigos, tenho informações que está difícil convencer Michel Temer a não tentar a reeleição.  O Ilegítimo quer porque quer e ignora total a baixa popularidade de seu governo. Nem com a força desinteressada que recebe de alguns tradicionais veículos de comunicação, a campanha engrena. Já a candidatura de Henrique Meireles, que pode sucedê-lo no MDB, ao que parece não decolou, apesar do apoio que recebe de boa parte de empresários. Aliás, nem o próprio Meireles parece se convencer de que é presidenciável.

IV.

Outro que vive dias áridos. O ex-governador Geraldo Alckmin. Mesmo com todo o empenho do tucanato, o homem não chega aos dois dígitos nas pesquisas de intenção de voto nem com reza braba. Pior: a criatura João Dória parece mover-se dentro do partido – e fora dele, namoriscando uma aliança com o MDB, contra o interesse do criador Alckmin e das velhas raposas políticas que coabitam o PSDB que é hegemônico em todo o Estado de São Paulo, o maior colégio eleitoral do país.

V.

Ao todo, são 17 possíveis candidatos à Presidência da República.

Perda de tempo nomeá-los.

Óbvio, nem todos estarão presentes na reta de chegada; agosto e setembro.

Querem algum espaço político para alavancar o prestígio e os beneplácitos do contexto político.

VI.

Uma força que não pode ser subestimada é a do Centrão.

Marum e seus bluecaps.

Este bloco não aceita apear do poder de forma alguma.

Ah! Mas, sequer sabemos se serão reeleitos – alguém há de perguntar.

Certo.

Mas, até lá, farão um barulho danado…

VI.

Me ocorre agora uma frase terrível do então deputado federal Ulysses Gimarães.

Alguém lhe perguntou sobre o péssimo Congresso que, à época, triscava todas as boas iniciativas do Governo.

Disse o Sr. Diretas:

– Você acha que este Congresso é ruim. Espere até ver o próximo.

VII.

Finalizo amigo Nestor e singelos leitores com a impactante notícia de ontem.

Sem Lula e Joaquim Barbosa no cenário, Bolsonaro lidera as pesquisas com sobras – e pode até se eleger no primeiro turno.

É o que temos para hoje. Infelizmente…

Foto: O Museu Oscar Niemeyer abre, nesta quinta, a mostra Paisagens Construídas com obras de Arthur Lescher. 

 

signature

Ainda nenhum comentário.

O que você acha?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *