Sign up with your email address to be the first to know about new products, VIP offers, blog features & more.

A estrada

O céu.
As nuvens.
O infinito.

A estrada
[os mais sensíveis
preferem chamar
de caminho.

A imagem não é inédita – e já inspirou tantos quantos, um momento sequer, se dispuseram a pensar na tal condição humana e no que intitulamos vida.

Não sei exatamente no que pensava a fotógrafa Jô Rabello quando fez a foto que hoje, nesta quarta de cinzas, ilustra e inspira o blog.

Não lhe perguntei, e não foi por falta de interesse.

Gostei da definição da autora para dar nome ao flagrante, feito ao que me consta, em tempos idos, na boléia de um caminhão.

“Toda estrada leva a um lugar”.

De qualquer forma, registro que, desde a primeira vez que a vi, quis a foto; primeiro, no site que passava por reformas. Mais recentemente, aqui, na tentativa de inaugurar uma nova fase em que as minhas mal traçadas terão a companhia de imagens.

Estradas congestionadas, como peguei para ir e vir nesses feriados carnavalescos, me arrepiam.

O caminho, porém, me seduz.

Acalento o sonho antigo de por o pé na estrada e cair no mundo.

É certo que não tenho mais idade para esses devaneios juvenis, mas, sei lá, nunca se sabe. Chuto o balde dos bons modos e das convenções e saio pela aí ao sabor dos ventos e dos sonhos.

Afinal, como profetizou Jack Kerouac, o precursor da geração beatnick, ainda nos idos dos anos 50:

“A estrada é a vida.”

signature