Sign up with your email address to be the first to know about new products, VIP offers, blog features & more.

Estação Sacomã do Metrô

Vale mais o registro do que propriamente o comentário.

Ontem, o governador José Serra inaugurou oficialmente a Estação Sacomã do Metrô.

Traduzindo, e no popular: finalmente o Metrô chegou ao Ipiranga.

É uma história longa que acompanhei como repórter. Sempre renovada, de quatro em quatro anos, a cada eleição para o Governo do Estado.

O bafão começou ainda do governador Paulo Egydio Martins nos idos de 70.

Entre 86 e 90, quando Orestes Quércia era o primeiro mandatário do Estado, o jornal Gazeta do Ipiranga teve acesso ao traçado original da linha Ipiranga/Vila Madalena.

Na manhã em que a Gazetinha circulou, as linhas telefônicas do jornal entraram em pane. Choveram ligações de leitores/moradores preocupados com o perde e ganha da especulação imobiliária em toda a região.

Muitos estavam preocupados – e com razão – com a possível desapropriação da casa onde moravam há anos e anos. O Ipiranga é um bairro tradicional. Não sei hoje, mas àquela época ainda preservava muitos resquícios da São Paulo provinciana dos anos 50.

A ameaça era real – inclusive para comerciantes. Pois as obras, sempre morosas das estações, poderiam levar os negócios à falência (O que efetivamente acabou acontecendo ali nas imediações do Ponto Fábrica).

Foi mesmo um perereco naquela sexta e, na semana seguinte, quando publicamos entrevista com um dos técnicos do Metrô tranqüilizando, na medida do possível, a população.

O trajeto poderia ser alterado – e foi. Que os moradores desencanaram.

Acostumaram-se com a rotina.

Ano de eleição para governador, o Metrô do Ipiranga voltava ao noticiário, com novo trajeto e outras tantas modernidades.

Depois era um silêncio total.

Até que veio uma hecatombe chamada Fura Fila (foto).

* Amanhã eu continuo…

** Foto: Caio Kenji

signature