Sign up with your email address to be the first to know about new products, VIP offers, blog features & more.

Erasmo e o começo da Jovem Guarda

Erasmo Carlos era a bola da vez no ano de 1964.

As emissoras de rádio não paravam de tocar “Festa de Arromba”, sucesso absoluto em todas as paradas da época.

Por isso, quando os executivos da TV Record se viram diante de um “buraco” na programação de domingo – as transmissões dos jogos de futebol foram proibidas pela Federação Paulista de Futebol por que estavam prejudicando as rendas – logo pensaram no jovem grandalhão para comandar um programa dedicado à juventude.

Manoel Carlos, Tuta, Nilton Travesso e Raul Duarte entraram em contato com Erasmo para que viesse a São Paulo fazer uns testes de fotogenia e desenvoltura diante das câmeras de TV.

(Os quatro formaram a histórica Equipe A, responsável pela fase de ouro da Record, imbatível como líder de audiência na década de 70. Foram eles que engendraram sucessos como o Fino da Bossa, os Festivais, Bossaudade, Corte Rayol Show, Família Trapo, Show em Simonal, o Programa da Hebe, entre outros sucessos que entraram para a história da TV brasileira.)

Erasmo chegou à Avenida Miruna algo desconfiado. Ainda não havia assimilado a nova vida de cantor famoso. Mesmo assim se saiu bem diante das lentes. Tanto que marcaram nova bateria de ensaios para a semana seguinte.

Como bom tijucano que é, Erasmo estava acostumada andar em turma – e não se acanhou em pedir aos produtores se podia trazer um amigo, também cantor em início de carreira, na semana seguinte. Justificou que se sentiria mais à vontade.
Meus cinco ou seis fiéis leitores já desconfiam de quem Erasmo estava falando…

Acertaram: Roberto Carlos.

O Rei ainda não era essa majestade toda, mas já encaminhava uma bela carreira com “Splish Splash”, “Parei Na Contramão”, “É Proibido Fumar” e “Calhambeque”. Nos estúdios, encantou a todos e a história é a que bem conhecemos: passou a ser ele o protagonista do programa Jovem Guarda.

Lembro essa “lenda” apenas para ressaltar a postura de Erasmo, generoso, parceiro e imensurável grandeza humana.

Não sei quantos de nós seriam capazes de tamanho desapego.

O mundo anda muito competitivo, e besta.

signature