Sign up with your email address to be the first to know about new products, VIP offers, blog features & more.

Lula e a entrevista

“Vou descansar. Tirar umas férias que não tiro há 30 anos. Uns dois meses em um lugar onde eu não tenha que fazer nada, discutir política, fazer absolutamente nada.”

“Normal eu nunca mais vou ser. Mas (serei) um brasileiro mais próximo da normalidade possível.”

“Quero tirar tudo da presidência de dentro de mim. Preciso voltar a ser o Lula. Se deixo a Presidência dia primeiro e dia 2 começo a dar palpite na política, eu vou estar tendo ingerência em coisa que eu não devo.”

“Vai ser bom para o Brasil, vai ser bom para a Dilma, vai ser bom para todo mundo se eu ensinar como um ex-presidente tem que se portar.”

Trechos da entrevista do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao jornalista Kennedy Alencar durante o programa “É Notícia”, exibido ontem pela RedeTV!, com versão editada publicada hoje pelo jornal Folha de S.Paulo.

Durante o encontro, o presidente Lula admitiu a possibilidade de se candidatar novamente à Presidência: “Eu não posso dizer que não porque sou um ser vivo, sou presidente de honra de um partido, sou um político nato, construí uma relação política extraordinária.”

Por força de dever e ofício, acompanhei com interesse a cobertura jornalística da eleição deste ano. Fiz (e faço) sérias restrições ao encaminhamento, com mão pesada e longe da imparcialidade que muitos veículos e profissionais ao longo da empreitada.

É bom que se diga, no calor da fornalha dos acontecimentos, não é fácil conduzir o processo jornalístico nesse período. Até porque as campanhas eleitorais – especialmente as presidenciais – são sempre distintas a cada edição. Na deste ano, esperava-se bem mais agilidade por parte dos veículos on-line que, ainda desta feita, vieram a reboque da TV e do jornalismo impresso.

Enfim, vivendo e aprendendo a jogar, como diz a canção.

De qualquer forma, seja na RedeTV!, seja na Folha de S.Paulo, o repórter Kennedy Alencar, ao meu ver, foi o grande destaque do jornalismo político. A entrevista de ontem, conduzida com naturalidade e segurança, coroou o belo e consistente trabalho do repórter neste 2010. Parabéns!

** Foto: Jô Rabelo

signature